Saudade, Você tem Nome

Saudade, você tem nome
(Oriza Martins)


Vive comigo a saudade,
Mas não serve, na verdade,
Para aliviar-me a dor,
Teima em não se revelar,
Quer anônima ficar,
Pra meu total dissabor.


Saudade, você tem nome...


Saudade, dissimulada,
Deixa minh’alma arrasada
Sem ter dó, sem compaixão,
Quer ver meus dias sombrios,
Meus sentimentos vazios,
Saudade é escravidão.


Saudade, você tem nome!...


Saudade, você tem nome,
Um nome que me consome,
Mas que eu guardo em segredo
(De revelar tenho medo)
Um segredo-obsessão
Que detona o coração,
De um amor proibido,
Que dói, jamais esquecido,
Prego em meu peito cravado,
Um caso mal resolvido,
Um sonho esmaecido
Nas brumas do meu passado...
Oriza Martins
<><><><><><><><><><><><>
Se desejar enviar esta mensagem, clique no envelope.

Um comentário:

Flor disse...

É um poema perfeito!Descreve muito bem o que sinto no momento.Adorei.