Para refletir...


Retrato de Minha Mãe (Poema)


RETRATO DE MINHA MÃE.
Nenhuma língua é capaz de expressar a força,
a beleza e a força de uma mãe.
Mãe – este é o banco onde depositamos
todos nossos ferimentos e preocupações!
À mesa-de-cabeceira tenho um retrato,
Retrato lindo, que juro, igual, ninguém tem,
Quando me deito, sorri-me com tanto bem,
Que o dormir é aquilo que se chama, pacato!
D’aquela imagem, dimana meigo alfacto
Que me inunda como nos tempos d’além…
–“Dorme meu filho” – – É a voz de minha santa mãe,
Que todos os dias ouço com todo tacto!…
Quantas vezes não durmo, por qualquer coisa,
Olho pró lado, meu olhar com prazer poisa,
Na sua figura que acalma meu pesadelo!…
Assim, há todas as noites a saudação terna,
Como em menino tinha, tua bênção materna,
Perante teu retrato, MÃE, há o mesmo desvelo!…
(2)
Este retrato é a relíquia que mais estimo,
Dentro de meu quarto que considero paraíso,
Destaca-se pelo porte de minha mãe o sorriso,
Quando a miro, sinto firme todo meu arrimo…
Meus lábios murmuram um dulcíssimo mimo…
–“MÃE! MÃEZINHA, ajuda-me, ‘inda de ti preciso,
A vida não me corre bem, hoje tive prejuízo,
Diz-me que hei-de fazer, pra me ver de cimo!…
Este é o meu grito frequente perante sua imagem.
Que mística parece, que me vibra coragem,
Porque sou, e , serei sempre teu filho AMIGO!…
Que tem presente teus influentes conselhos,
Que tantas vezes, dorido co’os olhos vermelhos,
Te dizem:” MÃE! MÃE! Como outrora estou contigo!

Nelson Fontes Carvalho
AMORA / Belverde
PORTUGAL

Cartas de Amor (Fernando Pessoa)


Todas as cartas de amor...

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Álvaro de Campos